tintapermanente

COISAS DO ARCO-DA-VELHA

'Em casa de uma família de Braga, que conhecemos recentemente, falou-se um pouco sobre as nossas origens. Por se falar de coisas antigas, veio à baila o dito ver Braga por um canudo e, na explicação, asseguraram-me que o tal canudo, de facto, existiu. Nunca ouvi tal coisa. Será que sim?’, escreveu-me Sandra Peixoto, da Cidade do Cabo, África do Sul.
Sobre o assunto há um texto alusivo no livro Coisas do Arco-da-Velha, mas não tenho a pretensão de pensar que a Sandra pudesse ter conhecimento disso. Daí que, com todo o prazer, aqui vai a cópia do que lá está escrito…
Antigamente todos os viajantes que se dirigissem para o norte do país, na sua maioria, desejavam visitar Braga e, naturalmente, através do penoso trajecto que eram as estradas na altura, sempre iam mostrando alguma ansiedade em chegar à cidade dos arcebispos (que, desde a época romana, ficava na rota de um dos mais importantes caminhos de peregrinação para Santiago de Compostela). (...)


ler mais
(clique aqui)

PÉSSANGA

Uma mãe engravida para toda a vida;
uma parideira é só por algum tempo.


Quando o pródigo e bom Deus criava as mães - já o dia e a noite se revezavam há seis dias - , entregue aos fecundos detalhes da Sua obra, não teve sentido do anjo que se abeirava.
- Tanta inquietude com esta criação Senhor, por quê?
- Acaso te quedaste na leitura das suas ingénitas especificações?
- perguntou-lhe o Criador, continuando absorto na sua labuta. Ciciou em tom monocórdio como se apenas verbalizasse os seus pensamentos: - Ela tem de ser totalmente moldável, mas não pode ser feita de qualquer material; deve ter quase duzentas partes móveis e substituíveis; precisa de funcionar plenamente nas piores condições e à base de comburentes tão vários e fracos como um pouco de café ou parcas e ressequidas sobras de comida; precisa de possuir um colo macio e ameno, que seja infalível a destruir frio e temores, fome ou dores; a boca é complicada, exige muito cuidado na feitura, porque tem de ter muitos (...)


ler mais
(clique aqui)

a minha caixa de antonomásias
canho, apólida, nemetano, retratador, golipão, estupofóbico, nervino, exúbere, vilão, manés, alóctone, testaçudo, curumim, escarolado, querendão, rimador, tartufo, pirrónico, andarilho, filógino, falto, conseguidor, probo, cônscio, adeantado, morigerado, achegado, revel, pegado, lisproso, gosma. E vianês.


                                                                                                                                                                                                                        2006 copyright™ jorgesteves’